quarta-feira, 1 de junho de 2011

Aloe vera barbadensis (Babosa) I

Aloe vera barbadensis ( Babosa ) I.

Introdução

As propriedades extraordinárias da Aloe vera são conhecidas desde muito antes da era cristã. O seu nome seria originária do hebraico halal ou do arábico alloeh ( substância amarga ) e do latim vera ( verdadeira ). Os judeus e muçulmanos antigos consideravam-na uma planta poderosa e a consideravam-na protetora para todos os males, tanto é que usavam as suas folhas até penduradas nas portas de entrada de suas casas. Alexandre, O Grande, teria conquistado as ilhas Socotorá, no oceano Índico ( século IV a.c. ), porque lá vegetava um tipo de babosa que produzia uma tinta violácea. Há quem diga que na verdade, o conquistador conhecia os poderes cicatrizantes da babosa e seu principal interesse era para curar os ferimentos dos seus soldados após as batalhas. Sabe-se que quando Cristovão Colombo descobriu a América , os índios americanos a chamavam de “varinha de condão celeste” dando o nome de médico vegetal, tal a sua virtude terapêutica entre eles. Quanto às suas virtudes cosméticas é reconhecida que Cleópatra a utilizava destacadamente para manter a sua beleza e as indústrias de cosméticos da atualidade confirmam as suas propriedades estupendas nesse ramo , usam-na como ingrediente básico para: cremes hidratantes, esfoliantes, loções bronzeadores, shampoos, condicionadores, máscaras,... A babosa é conhecida há mais de três mil anos, com certeza! No entanto, só no século XX é que ela despertou a curiosidade dos cientistas, que passaram a pesquisá-la com maior cuidado. Atualmente vários centros de pesquisa, tanto dos hospitais, das farmácias, assim como de cosméticos desenvolvem estudos nas suas aplicações.
Existem centenas de espécies de babosa, no entanto, somente duas delas são mais utilizadas: A Aloe vera arborescens de folhas menores e espinhos mais proeminentes e a Aloe vera barbadensis de folhas maiores e menos espinhentos. Esta última é a utilizada pelas indústrias, tanto de cosméticos como as nutricionais e medicinais. Trecho copiado do site http://www.jardimdeflores.com.br/ERVAS/babosa1.html
Popularmente a babosa é utilizada para ajudar na recuperação das queimaduras, cura de ferimentos, picadas de insetos e serpentes venenosas, males estomacais; ela é excelente no combate aos piólhos, tanto nos animais como nos humanos.
Na próxima publicação, escreverei sobre os estudos feitos pelos cientistas russos e americanos e as suas descobertas...
Yogoro Narahashi